Artigos

Motorola amplia sua iniciativa de inclusão digital de línguas indígenas com dois idiomas ameaçados na Índia

Em parceria com a Fundação Lenovo, a Motorola anuncia a próxima fase do projeto de inclusão digital de línguas indígenas com a inserção de dois novos idiomas -Kuvi e Kangri- falados em regiões da Índia. Nos últimos dois anos, foram incluídas nos dispositivos Motorola outras três línguas indígenas ameaçadas de extinção: Cherokee (falada nos Estados Unidos), Kaingang (falada no Brasil) e Nheengatu (falada na região Amazônica). Essa é mais uma iniciativa da companhia com o compromisso de abraçar a inclusão e de entregar tecnologia mais inteligente para todos com a disponibilização do primeiro sistema de escrita e do teclado para a língua Kuvi, e uma interface de usuário de smartphone Kangri integralmente localizada para nossos dispositivos*.

Dos 2.464 idiomas que podem deixar de existir ao redor do mundo listados no UNESCO Atlas of World’s Languages in Danger, a Índia vem em primeiro lugar com 197 idiomas ameaçados de extinção, seguido pelos Estados Unidos (191) e pelo Brasil (190). Na seleção de idiomas para a fase mais recente do projeto, foram analisados muitos fatores, como a porcentagem de falantes nas comunidades para indicar a perda de linguagem, acesso comunitário a tecnologias, engajamento com a comunidade mais abrangente, e disponibilidade de recursos linguísticos. Com isso, foi descoberto que, embora a comunidade do idioma Kuvi abranja cerca de 155 mil pessoas, que residem principalmente em Odisha e Andhra Pradesh, na Índia, somente aproximadamente 9% das pessoas na região ainda falam a língua. De maneira semelhante, cerca de um milhão de pessoas falam Kangri na Índia, sendo uma pequena fração fluente.

O primeiro sistema de escrita do idioma Kuvi

 

Kuvi Motorola

Neste projeto, a Motorola e a Fundação Lenovo trabalharam com o Kalinga Institute of Social Sciences (KISS), sob a orientação de Dr. Achyuta Samanta, fundador do Kalinga Institute of Industrial Technology (KIIT) & KISS, sob a liderança de Dr. Sushree Sangita Mohanty e com o apoio de falantes de Kuvi e especialistas em linguística para determinar as necessidades das comunidades Kuvi em todas as regiões onde o idioma é falado. Juntos, determinaram que o passo mais importante na preservação do idioma Kuvi seria desenvolver o primeiro sistema de escrita e depois, a criação do um teclado Kuvi que suporta 4 tipos de escrita – Kuvi Odia, Kuvi Telugu, Kuvi Devanagari e Kuvi Latin. O novo teclado pode ser baixado via Google Play Store para auxiliar a utilização da forma escrita do idioma Kuvi em smartphones e permitir outras formas de digitalização.

“Nós do Kalinga Institute of Social Sciences (KISS) estamos extremamente contentes em relação à parceria com a Motorola e a Fundação Lenovo neste projeto único para revitalizar o status ameaçado do idioma Kuvi,” disse Samanta. “O KISS, com o apoio da Fundação Lenovo, tem sido fundamental em agregar membros de comunidades tribais (Kondh, Kond and Jatapu), técnicos especializados e linguistas, e outras fraternidades para colaborar com o time de Globalização de Software da Motorola e desenvolver um teclado para o idioma Kuvi.  Esta iniciativa abre caminho para a revitalização de muitos outros idiomas, além de ajudar a preservar os ricos legados, conhecimentos e heranças existentes nas profundezas de nosso país.”

A primeira interface de usuário de smartphone Kangri integralmente localizada

Kangri Motorola

Para a criação do projeto, também foram envolvidos linguistas, acadêmicos e especialistas dos distritos de Kangra, Hamirpur e Una em Himachal Pradesh para entregar a primeira interface de usuário de smartphone Kangri (कांगड़ी) integralmente localizada, em termos de conteúdo AOSP e aplicativos de Experiência Motorola. Para assegurar uma experiência completa em Kangri nos dispositivos, também há suporte para Unicode Common Locale Data Repository (CLDR) com uma interface de dados de linguagem e de usuário Kangri mais rica, todos os padrões específicos a local para formatação e análise, tais como datas, horário, moeda, unidades de medida, informações de país e língua. Localizar mais de 200 mil palavras de inglês em Kangri nos aparelhos significa que quando um usuário configurar seu dispositivo, agora é possível selecionar Kangri e ter uma experiência de interface de usuário mais rica tanto com Android AOSP como com as experiências Motorola.

“Com cerca 1,7 milhão de falantes de Kangri de um total de 1,4 bilhão de habitantes na Índia, o esforço de revitalização de uma língua da Motorola e da Fundação Lenovo é de fato um atestado do compromisso da empresa de preservar idiomas ameaçados,” disse Professor Sunhu Sharma, consultor para a Iniciativa de Idiomas Indígenas da Motorola para Kangri. “O projeto era enorme e extremamente gratificante, conforme pesquisadores, membros de tribos, linguistas e técnicos se juntaram no trabalho de localizar mais de 200 mil palavras inglesas em Kangri nos dispositivos Motorola, que permitirá que falantes de Kangri configurem seu dispositivo em seu idioma para navegá-lo em seu idioma nativo.”

Para avançar no objetivo de impulsionar maior consciência e ações para revitalizar línguas indígenas ameaçadas, em dezembro passado, Sergio Buniac, Presidente da Motorola, anunciou no evento Década Internacional de Línguas Indígenas da UNESCO, que também existe uma parceria com a UNESCO para conduzir mais pesquisas sobre o impacto e potencial de digitalizar línguas indígenas ameaçadas.

 

Motorola jupy logo

“A Lenovo e a Motorola, em colaboração com o escritório da UNESCO em Nova Delhi, estão na fase de planejamento para o desenvolvimento de um toolkit para compartilhar experiências e tecnologias de digitalização de línguas indígenas ameaçadas,” disse Hesekiel Dlamini, o encarregado da UNESCO em Nova Delhi. “Este movimento está alinhado à nossa visão compartilhada para a inclusão digital de comunidades indígenas.” 

Além dessas línguas, recentemente foi inserido um novo logotipo dedicado à iniciativa de digitalização de línguas indígenas à interface dos smartphones Motorola. O propósito do ícone é fazer com que o suporte para essas línguas seja reconhecido nos dispositivos e aumentar a consciência em relação à causa.

“Em cada etapa de nosso projeto de línguas indígenas ameaçadas, nosso objetivo é ajudar a preencher as lacunas em tecnologia de inclusão digital e a inspirar mais ações para promover a revitalização dessas línguas”, comentou Janine Oliveira, diretora Executiva de Software de Globalização da Motorola Mobility. “A adição de Kangri e Kuvi à nossa lista crescente de idiomas suportados é um marco que temos orgulho de comemorar, mas nosso trabalho não termina aqui.”

No futuro, a Motorola e a Fundação Lenovo continuarão conduzindo pesquisas com comunidades indígenas e a engajar com times regionais para enriquecer as experiências Motorola e as vidas dos consumidores. 

Baixe o artigo

Artigos Similares

Motorola anuncia inclusão da língua indígena cherokee em sua interface do usuário
Motorola anuncia inclusão da língua indígena cherokee em sua interface do usuário
Saiba mais

Últimas notícias

Motorola razr 50 ultra chega ao Brasil com a maior tela externa e as melhores câmeras da categoria
Motorola razr 50 ultra chega ao Brasil com a maior tela externa e as melhores câmeras da categoria
Saiba mais
Motorola apresenta o g85, o primeiro aparelho da família moto g com borda infinita
Motorola apresenta o g85, o primeiro aparelho da família moto g com borda infinita
Saiba mais
Nova família motorola razr apresenta smartphone flip com a maior e mais inteligente tela externa do mercado, design icônico e poderosos recursos de IA
Nova família motorola razr apresenta smartphone flip com a maior e mais inteligente tela externa do mercado, design icônico e poderosos recursos de IA
Saiba mais